O CredifilEmpréstimosCartão de CréditoCréditoFinanciamentoRefin.Consórcios

Demanda por crédito pessoal aumenta - 17/07/2012

O Banco central anunciou aumento na procura por crédito pessoal, principalmente as modalidades taxas de juros mais baixas


por Marco Henrique Torres

O Banco central anunciou aumento na procura por crédito pessoal, principalmente as modalidades taxas de juros mais baixas. Essa informação, que trata do mês de maio, e reflete as medidas tomadas pelo Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal para diminuir os juros do crédito direcionado ao consumidor. A média de concessões diárias, incluindo os empréstimos consignados, cresceu 4,8% em relação a abril. Já o cheque especial apresentou 6,7% de retração, enquanto o crédito rotativo do cartão de crédito diminuiu 13%.

O saldo do cheque especial foi a R$ 21,937 bilhões de reais, apresentando redução de 2,8% se comparado com o mês de abril. O crédito pessoal, por outro lado, apresentou expansão de 1,9%, passando a R$ 262,549 bilhões. Já o cartão de crédito apresentou redução de 2,8%, indo a R$ 36,743 bilhões.

Ainda de acordo como Banco Central, o crédito consignado é a modalidade de empréstimo que apresenta menor taxa de juros dentre os produtos de crédito ao consumidor. No mês de maio a taxa do empréstimo consignado ficou em 24,7% ao ano. Se consideradas todas as operações de crédito pessoal, a taxa média para o mês de maio foi de 41,4% ao ano. Já o cheque especial teve taxa média anual de 169,5%.

A maior procura dos clientes por juros mais baixos está relacionada à grande divulgação da redução das taxas de juros perpetuada pelo Banco do Brasil e pela caixa Econômica Federal. Como o tema teve maior evidência, clientes procuraram pelas taxas mais baixas. Muitos clientes procurar renegociar seus empréstimos e os que assinaram novos contratos foram mais criteriosos.


» Voltar

Outros Temas


Brasil