O CredifilEmpréstimosCartão de CréditoCréditoFinanciamentoRefin.Consórcios

Bancos levam clientes a pagar mais - 25/07/2012

Pesquisa do Idec, Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, apontou que os bancos brasileiros estão criando empecilhos à contratação de crédito pessoal.


por Marco Henrique Torres

Pesquisa do Idec, Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, apontou que os bancos brasileiros estão criando empecilhos à contratação de crédito pessoal, levando consumidores a contratar formas mais caras de crédito, além de não informarem o CET (Custo Efetivo Total) aos seus clientes. As ações, negativas segundo a instituição, infringem o Código de Defesa do Consumidor.

Na pesquisa, realizada em agências de seis grandes bancos brasileiros (Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú e Santander), representantes do Idec foram aos bancos pedir a concessão de empréstimo pessoal de R$ 300,00, em cinco parcelas. No HSBC, Itaú e Caixa, atendentes sugeriram que o consumidor usasse o cheque especial, opção mais cara que o crédito pessoal. No Itaú a taxa de juros mensal para cheque especial era quase o dobro da taxa aplicada para produtos de crédito pessoal.

Quanto ao CET, o Banco do Brasil foi o único a informar o valor corretamente, enquanto outras instituições forneceram informações incompletas ou incorretas. No Banco Santander, por exemplo, os juros do crédito pessoal são de 4,79%, mas segundo os cálculos feitos pelo Idec, o custo total chegava a 9,24% ao mês. O banco obrigava o cliente a contratar o seguro, no valor de R$27,00. A prática de venda casada é proibida pelo Código de Defesa do Consumidor.

O consumidor deve tomar cuidado com as informações providas pelos bancos para não cair em armadilhas ou mesmo achar normal a compra de produtos paralelos ao que ele foi buscar no banco ou financeira. Além disso, deve estar atento ao prazo do seu empréstimo, pois os juros pagos no final do contrato estão ligados ao tempo que o cliente paga pelo empréstimo.



» Voltar

Outros Temas


Brasil